segunda-feira, 25 de junho de 2012

ESTA CHARGE ESTARÁ NA PROVAS DE TODAS AS MINHAS TURMAS, PORTANTO QUEM QUISER OBSERVÁ-LA BEM E FAZER UM COMENTÁRIO, SERÁ IMPORTANTE PARA SEU ENTENDIMENTO.


EXERCÍCIO DE APÓIO SOBRE TIPOS DE SUJEITO E TRANSITIVIDADE VERBAL PARA OS ALUNOS DO 2º ANO.



PROF.: JEAN RODRIGUES
ATIVIDADE DE ANÁLISE SINTÁTICA

1.       Identifique e classifique o sujeito das orações abaixo:

a)      A campainha está tocando.
b)      Chegaram cedo os homens simpáticos.
c)       Os três dormiram na chuva.
d)      Quem vive no campo tem mais qualidade de vida.
e)      Os meninos e os velhos têm gostos diferentes.
f)       Tiraram nota baixa os alunos do terceiro e do segundo ano.
g)      Escrevi um livro em quatro anos.
h)      Chegamos atrasados por causa do trânsito.
i)        Discutiram os projetos.
j)        Chamaram você ali.
k)      Precisa-se de secretária.
l)        Choveu muito hoje.
m)    Há bons restaurantes aqui.
n)      Faz um semestre que estamos estudando.
o)      A chuva está brava.
p)      Ouviram do Ipiranga as margens plácidas.
q)      Todos haviam partido cedo.
r)       A febre não parou de aumentar.
s)       Os guardas tinham um trabalho difícil.
t)       Ventava na hora da partida.
u)      Ouvi dizer que o jogo foi adiado.
v)      Faz muitos anos que não o vejo.
w)    Fizeram uma fila no meio da manhã.
x)      Jogou-se futebol nesta quadra.
y)      Falou-se muito em liberação da maconha.

2.       Classifique os verbos em destaque em VERBOS TRANSITIVOS DIRETOS, INDIRETOS, INTRANSITIVO E DE LIGAÇÃO. 

a)      Paulo acordou.
b)      Maria trouxe a janta.
c)       Magali gosta de doces.
d)      Andréia está sorridente.
e)      A cidade atrasou o salário dos funcionários.
f)       Aqueles homens precisam de mais mão de obra.
g)      O senador teve um caso com uma jornalista.
h)      O gatinho enxerido morreu.
i)        O carro da Ferrari é vermelho.
j)        Eu assisti ao filme de atiradores.
k)      A fofoqueira deu uma tapa na vizinha.
l)        Maria ama João.
m)    O supermercado necessita de mais segurança.
n)      Ela obedece ao pai.
o)      D. Pedro I abdicou ao trono real.
p)      A conta de água chegou.
q)      O bebê já dormiu.

EXERCÍCIO DE APÓIO SOBRE ESTRUTURA DAS PALAVRAS PARA OS ALUNOS DO 3º ANO.

EXERCÍCIO SOBRE ESTRUTURA DAS PALAVRAS        
 PROF.: JEAN RODRIGUES

1-      Indique os elementos mórficos das seguintes palavras:

a)      DISSÉSSEMOS
Radical:__________________
Vogal temática:____________
Tema:____________________
Desinência do Pret. Imperfeito do subjuntivo:_________
Desinência da 1ª pessoa do plural:__________________

b)      GOSTAVAM

Radical:_____________________
Vogal temática:_______________
Tema:_______________________
Desinência do Pret. Imperfeito do indicativo:____________________
Desinência da 3ª pessoa do plural:______

c)       IGUALDADE

Radical:_________________
Tema:__________________
Sufixo:_________________

d)      PENSAMENTO

Radical:_____________________
Vogal temática:_______________
Tema:_______________________
Sufixo:______________________
Desinência de número:__________

e)      ARREDAMENTOS

Radical:______________________
Vogal temática:________________
Tema:________________________
Sufixo:_______________________
Desinência de número:___________


f)       INFELIZMENTE

Radical:_______________________
Tema:________________________
Prefixo:_______________________
Sufixo:________________________

2-      O vocábulo “ OSTENTANDO” apresenta em sua estrutura os seguintes elementos mórficos:

a)      O radical é “ostenta” e o prefixo “ndo”.
b)      O radical é “ostenta”, o tema é “ostent” e a desinência é “ndo”.
c)      O prefixo é “os”, o radical é “tent”, a vogal temática é “a”, e a desinência é “ndo”.
d)      O radical é “ostent”, a vogal temática é “a”, o tema “ostenta”- e a desinência é “ndo”.

3-      Assinale as alternativas VERDADEIRAS e depois some os valores:

1.      Na palavra “cidadezinhas” há diversos elementos mórficos, sendo radicais “cidad” e “inh”.
2.      Em “ funcionário” e “destacamento” ocorrem prefixos.
3.      A palavra “motonaútica” é composta, pois tem 2 radicais.
4.      Nos verbos “ enviamos” e “buscam”, os elementos “mos” e “m” são desinências números-pessoais.
5.      As palavras “amável”, “agradável”, “lovável” pertencem à mesma família. Diz-se que são cognatas.                     


4-      A palavra “adivinhar”, “adivinho”, e “adivinhação”, tem a mesma raiz, por isso são cognatas. Assinale a alternativa em que não ocorrem três cognatas.

a)      alguém; algo; algum.
b)      ler; leitura; lição.
c)      ensinar; ensino; ensinamento.
d)      candura; cândido; incandescência.
e)      viver; vida; vivente.

5-      Indique:

a)      Palavras cognatas de “robô”.
b)      Palavras cognatas de “mosca”.
c)      Uma cognata de “terra” que apresente  PREFIXO E SUFIXO.

6-      Indique os morfemas solicitados:

a)      O radical de pesquisadora
b)      O prefixo de percorrer
c)      O sufixo de evolução
d)      A desinência de gênero de prático
e)      A desinência de numero de inteligentes
f)       A vogal temática de poderão

sexta-feira, 8 de junho de 2012

QUE TIPO DE ALUNO VOCÊ É OU FOI?


TIPOS DE PROFESSORES. QUAIS DESSES VOCÊ JÁ TEVE?

 
PROFESSOR XUXA – Recebe para entreter as crianças.
PROFESSOR DENOREX – Tem cheiro, tipo, parece, mas não é.
PROFESSOR BRASIL-GÁS – Dá aula de 15 em 15 dias.
PROFESSOR ATEU – Diz que o governo não quer nada, os pais não querem nada, os alunos não querem nada, e ele também?
PROFESSOR CURURU – É obrigado a pedir remoção, mas depois volta.
PROFESSOR DOMÉSTICO – Faz tudo o que o diretor quer.
PROFESSOR VIDENTE – Pressente a presença da supervisão.
PROFESSOR COMEDIANTE – Conta com humor que não dá aula.
PROFESSOR BOÊMIO – Recorda cantando em versos as aulas que deu no passado.
PROFESSOR EXEMPLAR – Faz questão de apresentar só os bons alunos aos amigos.
PROFESSOR TATU –Só dá aula de porta fechada.
PROFESSOR BABÃO – Só vive presenteando o diretor.
PROFESSOR CIGANO – Vive de escola em escola.
PROFESSOR FAMOSO – Por onde passa é reconhecido “lá vai ele".
PROFESSOR VAIDOSO – Não dá aula, mas anda sempre, com o livro debaixo do braço.
PROFESSOR PIPOCA – De vez em quando explode em sala de aula.
PROFESSOR CIENTISTA – Passa o tempo todo procurando um método, como remédio de todos os males.
PROFESSOR COMO ELE – Nas capacitações só diz: “eu fiz como ele".
PROFESSOR CANINHA – Só dá aula depois que toma uma.
PROFESSOR BRINCALHÃO – Dá aula o ano inteiro, e no carnaval ainda se fantasia de professor.
PROFESSOR ESPARRENTO – Só dá aula gritando, pra todo mundo ouvir
PROFESSOR PEDREIRO – Dá mais de 12 horas-aula por dia.
PROFESSOR EGOÍSTA – Diz pra todo mundo que é o único que ensina.
PROFESSOR VIGIA – Só gosta de dar aula à noite.
PROFESSOR AZARENTO – Diz não poder dar aula no dia seguinte porque vai resolver um problema e na saída do motel encontra-se com o diretor.
PROFESSOR SONHADOR – Vive pensando que a educação vai mudar a sociedade.
EX-PROFESSOR – É aquele que nunca deixou de ser.
PROFESSOR ACANHADO – Escuta o que os outros falam, não emite opinião, mostra sempre um sorriso.
PROFESSOR CANTOR – Não ensina, e passa o tempo todo cantando para disfarçar.
PROFESSOR FAÍSCA – Já entra na sala de aula gritando.
PROFESSOR EXECUTIVO – Tem seu diário de classe sempre em perfeita ordem e com objetivos que nem ele sabe atingir.
PROFESSOR ASSISTENCIALISTA – Pode ate passar fome, mas faz belíssimas festas na escola, compra presentes, leva o aluno ao médico, e ainda compra material didático.
PROFESSOR ABORTO – Odeia criança, mas foi ser professor por não saber fazer outra coisa.
PROFESSOR XEROX – Nada cria, nada transforma, tudo copia.
PROFESSOR BOM BRIL – Tem 1001 utilidades na escola.
PROFESSOR SÍLVIO SANTOS – É autoritário disfarçado de democrata.
PROFESSOR IBOPE – Concorda com a maioria mesmo antes de ouvi-la.
PROFESSOR CAMALEÃO – Troca.de cor de acordo com o poder que estiver de plantão.
PROFESSOR ATRASADINHO – Não avança e critica quem se atualiza.
PROFESSOR POPULISTA – Dá nota gratuita para todos.
PROFESSOR TRABALHADOR – Tem consciência de que o trabalho intelectual não elitiza, tem consciência da classe a que pertence, sabe que as elites fugiram das escolas devido aos baixos salários, ficando nas mãos das classes populares a responsabilidade pela sua própria educação. Professor Trabalhador é aquele que sabe que quando terminam as possibilidades dentro da escola começam as suas responsabilidades política e sindical.
PROFESSOR LEITOR – É aquele que sabe ser e sabe o significado de todos os tipos, e ainda pode se identificar.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

LEIA ESTE TEXTO

RIVALIDADE ARGENTINA
              Estavam certa vez, o americano, o argentino e o brasileiro, na China, bebendo umas e outras em praça pública, coisa que é proibida nesse país.
Foram presos e levados ao juiz. O juiz condenou que cada um levaria 20 chibatadas.
           Como era transição entre o ano do galo e o tigre, tinham direito, isso todos os prisioneiros, a um pedido, desde que não fosse escapar da punição.
          O juiz falou: "Americano, vocês são um povinho de merda, metidos a besta, prepotentes, acham que são os donos do mundo, mas mesmo assim lhe concedo o pedido, pode pedir".
           O americano fala: "Amarrem um travesseiro nas minhas costas".
           Lá pela décima chibatada, o travesseiro rompe e ele acaba levando mais 10 chibatadas no couro limpo.
          Para o argentino o juiz disse "Argentino, vocês sim são um povo de merda mesmo, cheio de marra, êta gente chata, como vocês nunca vi, mas vou ter de lhe conceder o pedido".
         "Amarrem 2 travesseiros nas minhas costas". Diz o argentino. Depois da 15ª chibatada os travesseiros não aguentam a força das chibatadas e acaba levando 5 chibatadas sem qualquer proteção.
          Chega a vez do brasileiro. Diz o juiz” vocês são um povo exemplar, povo sofrido, vive na miséria, trabalha e mesmo assim mantém o bom-humor, ao invés de um pedido, vou quebrar o protocolo e lhe favorecer a dois pedidos. Pode pedir.”
          O brasileiro fala: "Não quero levar 20 chibatadas e sim 200". O juiz se espantou, mas tudo bem, o cara era brasileiro. E pergunta: "Qual é o 2º pedido?"
          "Amarrem o argentino nas minhas costas."

ALGUÉM PODE DIZER QUAL É A CRÍTICA DESTA CHARGE?


OLHEM QUE TEXTO INTERESSANTE:



Um político que estava em plena campanha chegou a uma cidadezinha, subiu em um caixote e começou seu discurso:
- Compatriotas, companheiros, amigos! Nos encontramos aqui convocados, reunidos ou ajuntados para debater, tratar ou discutir um  tópico, tema ou assunto, o qual é transcendente, importante ou devida ou morte. O tópico, tema ou assunto que hoje nos convoca, reúne ou ajunta, é  minha postulação, aspiração ou candidatura à Prefeitura deste Município.
De repente, uma pessoa do público pergunta:
- Escute aqui, por  que o senhor utiliza sempre três palavras para dizer a mesma coisa?
O  candidato responde:
- Pois veja, meu senhor: A primeira palavra é para  pessoas com nível cultural muito alto, como poetas, escritores, filósofos etc.  A segunda é para pessoas com um nível cultural médio como o senhor e a maioria  dos que estão aqui. E a terceira palavra é para pessoas que têm um nível  cultural muito baixo, pelo chão, digamos, como aquele bêbado ali jogado na  esquina.

De imediato, o bêbado se levanta cambaleando e responde:
- Senhor postulante, aspirante ou candidato!  O fato, circunstância ou razão de que me encontre  em um estado etílico, bêbado ou mamado não implica, significa, ou quer dizer que meu nível   cultural seja ínfimo, baixo ou ralé mesmo . E com todo o respeito, estima ou carinho que o Sr. merece  pode ir agrupando, reunindo ou ajuntando , seus pertences, coisas ou bagulhos e encaminhar-se, dirigir-se ou ir diretinho à leviana da sua genitora, à mundana de sua  mãe biológica ou à p... que o pariu!

 

domingo, 3 de junho de 2012

ARTIGO DE OPINIÃO DA ALUNA Aline Aparecida T. da Costa Aluna do 3º ano “Único”, de Algodão de Jandaíra-PB

ARTIGO DE OPINIÃO
A QUANTIDADE DE MELANINA CONTA PONTO NA PROVA
            Chegar à universidade é o sonho de milhões de jovens brasileiros, independentemente da cor da pele. Porém, todos sabemos que no Brasil só goza de boa educação quem pode pagar por ela, e isso acaba fazendo com que pessoas pobres cheguem, no máximo, a concluir o ensino médio. Com a finalidade de “mascarar” essa realidade, o Supremo Tribunal Federal aprovou em maio deste ano as cotas raciais que facilitam à entrada de negros – negros, não pobres – no ensino superior.
            A princípio, parece uma ação nobre, de pessoas “boazinhas”, afinal de contas, os negros que já sofreram tanto ao longo de sua história, terão mais chances de vencer na vida. Mas a questão é bem mais complexa que isso. Em primeiro lugar, não são os negros que sofrem com educação de baixa qualidade, são os pobres. Consequentemente, não importando a quantidade de melanina, são as pessoas de baixa renda que encontram dificuldades para entrar em uma universidade. Por outro lado, uma pessoa qualquer que se esforçou muito para passar no vestibular pode acabar perdendo sua vaga para uma pessoa negra que não se esforçou tanto, somente porque esta segunda tem mais melanina na pele. É revoltante.
            Outro problema consequente dessas cotas, é que os negros favorecidos sofrerão mais preconceito do que nunca. E isso fará com que eles enfrentem problemas até na hora de conseguir emprego, quando sua capacidade profissional for questionada. E ainda tem mais. Em um país de grande miscigenação como o Brasil, quem pode se declarar negro? Como classificar uma pessoa negra? Quais os critérios?
            É inquestionável que o Brasil tenha uma grande dívida com os negros. Mas não é só com eles. Há dívidas com os indígenas, com os nordestinos, com os gays e, acima de tudo, com os pobres. Se a meta é diminuir a desigualdade no ensino superior, vamos melhorar as escolas, pagar melhor aos professores, enfim, tirar a educação brasileira do poço no qual ela se encontra. E aí, só faltará o esforço de cada um, sem divisão.