Quem sou eu

Minha foto
Remígio-PB, Paraíba, Brazil
Mestre em Letras pela UEPB e professor de Língua Portuguesa dos ensinos fundamental e médio. Meu interesse com esse espaço é poder divulgar e compartilhar com todas e todos minhas atividades escolares e questões objetivas de português para estudos voltados para concursos públicos e o ENEM.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

ARTIGO DE OPINIÃO SOBRE A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL NO BRASIL



                                            SERÁ QUE A FAMÍLIA VAI BEM?



           




              (Autora: Robéria Silva Santos, 2º ano,  E.E.E.F.M Euclides Mouzinho dos Santos)

         Sou uma adolescente de 17 anos, estudante do 2º ano do ensino médio num pequeno município paraibano. Através dos meus conhecimentos, posso formar e defender à minha opinião, e uma delas é acerca da redução da maioridade penal no Brasil, tema o qual sou totalmente contra.
            Coloco-me no lugar de outros adolescentes que, por motivos tais como, familiar, financeiro, social, entre outros, caem no mundo do crime, tentando obter uma vida melhor. Creio que na maioria das vezes o pensamento deles seria desfrutar de mais oportunidades na sociedade, com respeito e reconhecimento pessoal.
            Talvez, se eles tivessem uma boa educação, morassem em locais seguros, longe do crime e da violência, isso sim poderia lhes dá oportunidades mais dignas de acesso ao trabalho. Mas, o que o nosso “governo” quer é punir esses adolescentes por erros cometidos por esses mesmos que se dizem nossos representantes. Um desses erros, por exemplo, foi investir mais em presídios ao invés de escolas, saúde, empregos e segurança. Isso gerou muita revolta. No nosso país existe mais cadeias do que institutos de educação. Então eu pergunto: um país que possui mais presídios que escolas, terá outro resultado diferente a não ser o aumento da criminalidade com participação de adolescentes? Talvez se os mesmos estivessem nos institutos de educação praticando o que gostam e não nas ruas, isso não iria ocorrer.
            Eu sou estudante do ensino médio. Minhas aulas iniciam no colégio a partir das 13:00h da tarde e finaliza às 17:30h, possa o período de cinco horas e meia assistindo aulas teóricas. Não tem nada prazeroso naquele lugar. Minha escola não dispõe de um ginásio esportivo e nem de um simples data show para diversificar as aulas. O único motivo que me faz ir ao colégio todos os dias é a influência da minha família, que explicar que devo estudar para ter um futuro melhor. Mas muitos desses adolescentes não têm o mesmo apoio que eu tenho. Não têm pai ou mãe, até mesmo um parente que lhe aconselhe a estudar. Portanto, eles pensam; para que continuar aqui nessa escola fazendo o que eu não gosto? Enfim, eu penso que o governo deveria realizar projetos para reestruturar as famílias e não destruí-las.


13 comentários:

  1. Parabéns Robéria, belo artigo.
    Realmente nem todos teem o devido apoio da família para perceber a importancia da educação.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns! Robéria, concordo com você.

    ResponderExcluir
  4. Sé essas crianças tivessem uma boa educação dos pais, saberiam que praticar crimes não leva a lugar nenhum..

    ResponderExcluir
  5. Ótima opnião Robéria! Parabéns.

    ResponderExcluir
  6. Ter problemas familiarea,sociais, em edução e outra,nao é motivo oara entrar no mundo do crime,tem bastante de pessoas que tem todos essea problemas e mesmo assim nao entram no mundo do crime.

    ResponderExcluir
  7. Otimo artigo, congratulações!
    Concordo muito com esse ponto de vista, claro que nao podemos generalizar mas na maioria dos casos (nao tenho dados sobre isso) os jovens entram nesse mundo por problemas sociais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Obrigado, Bruno, pelo acesso!
      Esse artigo foi escrito por uma aluna minha do 2º ano em 2015. Grande abraço!

      Excluir