sexta-feira, 27 de maio de 2016

GÊNERO TEXTUAL POEMA



O SÍTIO DE ALAN

Laranja, pera, e maçã
Frutas boas da molesta
Como tudo sem ter pressa,
No sítio do Alan.

Vou lá no meu fusca,
Com Deus no coração,
Pois só Ele me dá a proteção,
E nossa senhora é justa.

João tão grandão,
Maria, tão pequenina,
Brincando no pé mamão,
Lembrando quando era menina.

Tão feliz parecia,
Tô até me tremendo,
O que está acontecendo?
Estou com uma agonia?

Vou andar de carroça,
Um aperto no peito,
Acho que tô de mal jeito,
Mas amo minha vida na roça.

A comida é com capricho,
Agradeço a meu Deus,
Por tudo que me deu,
Só ele me dá tudo isso.

Ôh vida arretada!
Acordar cedo de manhã,
Pra ir lá no Alan,
Que felicidade danada.

Agora vou fazer um cuscuz,
Desejo a todos um abraço,
Chegue, abra os seus braços
Que a vida nos conduz.


(Maria Amanda dos Santos Costa, aluna do 1º ano do ensino médio, Algodão de Jandaíra-PB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário