Quem sou eu

Minha foto
Remígio-PB, Paraíba, Brazil
Mestre em Letras pela UEPB e professor de Língua Portuguesa dos ensinos fundamental e médio. Meu interesse com esse espaço é poder divulgar e compartilhar com todas e todos minhas atividades escolares e questões objetivas de português para estudos voltados para concursos públicos e o ENEM.

sábado, 4 de agosto de 2018

ATIVIDADE DE INTERPRETAÇÃO (GÊNERO MEMÓRIAS) 6º a 9º ANOS


Leia o texto abaixo:

AS MESTRAS DE SANTA LUZIA

    Um dos momentos marcantes da minha infância aconteceu quando comecei a estudar no Grupo Escolar “Dr. Cunha Lima”, em Remígio. Tudo ia muito bem, até que um boato causou-me um mega susto. Espalharam que só poderia continuar indo à escola, quem tivesse sapato. Era uma exigência da diretora. O nome dela era Nevinha. Entrei em pânico. Eu não tinha sapato. Longe de mim a ideia de interromper os estudos que estavam na verdade apenas no começo. Enchi-me de coragem e fui eu mesmo tentar reverter a situação. Preparei-me. Ensaiei várias falas, mas de tão nervoso acabei esquecendo todos os scripts e indo direto ao assunto. Mas suava em bicas e tremia feito vara de marmeleiro. Comecei dizendo que era pobre e que minha mãe não podia comprar sapatos para mim.
    Comecei a chorar. Não queria sair do Grupo e que ela permitisse a minha entrada com as alpercatas que eu usava. Qual não foi a minha surpresa quando aquela jovem dirigente abraçou-me com um carinho maternal e, com suavidade disse-me que não tinha problemas e que eu estava dispensado dos tais sapatos. Exultei de alegria. Consegui!
    Foi essa mesma Dona Nevinha que me incentivou a dar os primeiros passos no sentido do gosto pela leitura. Na sala da diretoria havia uma estante de madeira escura com prateleiras repletas de livros destinados ao público infanto-juvenil. A gente escolhia o livro, levava para casa, lia e no momento da devolução ela pedia que contássemos a estorinha. Feito isso, estávamos habilitados a escolher outro livro e assim por diante. Foi a partir dali que nasceu o meu fascínio pela magia da leitura.
   Dona Nevinha e mais duas irmãs que também eram professoras, vieram de Santa Luzia. Desconheço os motivos que as trouxeram para trabalhar em Remígio. Uma chamava-se Berenice e a outra, parece que era Marinalva ou algo parecido. Todas muito caprichosas com tudo que dizia respeito ao grupo escolar, principalmente quando das datas comemorativas, notadamente o dia 7 de setembro. Trouxeram ideias que resultaram em inovações no fazer pedagógico.
     O fato é que as mestras de Santa Luzia deram uma grande contribuição à história da educação de parcela de remigenses que teve o prazer de desfrutar do conhecimento e da competência daquelas profissionais. Para elas, o trabalho no Cunha Lima significava mais do que um emprego. Tinham-no como missão. Algo intangível. Elas, como os demais educadores, tinham um sonho. O sonho de um mundo em que houvesse respeito à dignidade humana.
     Não sei se ainda são vivas, mas tenho certeza que deixaram marcas indeléveis na história de uma geração de remigenses. Pelo menos na memória daquele sambado magrelinho que por pouco não teve sua carreira de estudante interrompida por não possuir um lustroso par de sapatos. Felizmente tudo não passou de boato. Felizmente!

Francisco de Assis Melo
João Pessoa/PB em novembro de 2017.


1. Sobre o texto acima, responda:

a)   O que o título tem a ver com o assunto tratado no texto?

b)   Segundo o narrador, que momento marcante ele viveu na escola?

c)   De acordo com o texto, como o narrador se sentiu ao saber da nova regra da escola?

d)   Como o narrador descreve “Dona Nevinha”?

e) Segundo o texto, qual a importância de Dona Nevinha na vida do sujeito da história?

2. Responda o que se pede:

a) Que gênero textual é esse?

b) Qual o objetivo desse texto?

c) Quem é o autor desse texto?

d)   Pelas pistas presentes no texto, em que época aproximadamente se passa os fatos narrados?

e)   Pelo que é dito no texto, que tipo de aluno estudava no Grupo Escolar Dr. Cunha Lima?

3. Ainda sobre o texto:

a) Que tipo de narrador há no texto acima?

b) Em que tempo verbal o texto é narrador? Por quê?

QUESTÕES OBJETIVAS DE ASSINALAR

4. De acordo com a leitura do texto, pode-se afirmar que

a) relata fatos vivenciados pelo narrador.
b) informa ao leitor os fatos mais importantes de interesse da população.
c) é uma história de tradição oral, geralmente contada de pai para filho.
d) há registros de fatos que ocorrem com a população remigense.
e) denuncia o tratamento dado aos alunos pobres de Remígio.

5. Em relação ao terceiro parágrafo do texto, percebe-se que

a) o tempo passava rápido diante das brincadeiras vividas na infância.
b) os alunos eram incentivados a ler e a contar As histórias que liam.
c) os alunos liam por obrigação.
d) o narrador critica o fato de ter sido forçado a ler livros.
e) cada aluno lia um livro por ano.

6. De acordo com o texto, a maior preocupação do sujeito era:

a) O fato de ser pobre
b) não possuir sapatos
c) interromper os estudos
d) perder a merenda da escola
e) Não poder ver mais a sua diretora querida

7. A palavra “ALPERCATAS” presente no texto, significa:

a)   sapatos
b)   sandálias
c)   calças
d)   farda
e)   botas

8.   O trecho que apresenta uma OPINIÃO é:

a) “Espalharam que só poderia continuar indo à escola, quem tivesse sapato”
b)  “Eu não tinha sapato”
c)  “A gente escolhia o livro, levava para casa”
d) “Dona Nevinha e mais duas irmãs que também eram professoras”
e) “tenho certeza que deixaram marcas indeléveis na história de uma geração de remigenses”

9. No trecho:
Preparei-me. Ensaiei várias falas, MAS de tão nervoso acabei esquecendo todos os scripts e indo direto ao assunto.

A palavra em destaque pode ser substituída, sem alterar o sentido original do texto, por:

a)   E
b)   contudo
c)   porque
d)   ou
e)   então

10. No trecho:

A gente escolhia o livro, levava para casa, lia e no momento da devolução ela pedia que contássemos a estorinha.

Os verbos em destaque indicam ações:

a) no tempo presente
b) no tempo futuro
c) que ocorrem no momento da fala do narrador
d) que aconteceram apenas uma vez
e) passadas que ocorreram um número indefinido de vezes

11. No trecho:

O fato é que as mestras de Santa Luzia deram uma grande contribuição à história da educação de parcela de remigenses que teve o prazer de desfrutar do conhecimento e da competência daquelas profissionais.

O narrador transmite nesse trecho o sentimento de:

a)   angústia
b)   desdém
c)   felicidade
d)   orgulho
e)   tristeza

12. No trecho:

"Não sei se ainda são vivas, mas tenho certeza que deixaram marcas INDELÉVEIS na história de uma geração de remigenses."

A expressão destacada pode ser substituída, sem alterar o sentido original, por

a) inapagáveis
b) fracas
c).deléveis
d) simples
e) ingênuas

Curta nossa fanpage no facebook @escrevequeeuleio
e se inscreva no nosso blog professorjeanrodrigues.blogspot.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário